Eleito deputado federal nas eleições de outubro, substituindo seu primo Inocêncio Oliveira, que depois de várias décadas não disputou cargo eletivo, Sebastião Oliveira é presença marcada no secretariado de Paulo Câmara, que assume no dia 1º de janeiro. Sebastião estará de volta à pasta de Transportes, a qual já havia ocupado durante o primeiro governo de Eduardo Campos.

Nas ultimas eleições Sebastião Oliveira foi o candidato apoiado pelo atual Prefeito de Sairé, Fernando Pergentino, agora antes mesmo de assumir seu mandato como Deputado, Sebastião dá às costas aos votos que teve. Abandona sua vaga no congresso nacional para ficar ao lado de Paulo Câmara, ou seja entre o povo e o Governador eleito ele escolheu o Governador.
Sindicato não é só para aposentadoria tem que fazer muito mais, sendo assim ninguém faz o que o Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura Familiar faz!

O Sintraf Sairé vem realizando: - Aposentadoria por Idade Rural, Salário Maternidade, Salário Família, Auxilio Acidente, Auxilio Doença, Auxilio Reclusão, Programa Nacional de Habitação Rural.

E tem mais! O Sintraf Sairé realizou vários convênios para melhor beneficiar os trabalhadores da agricultura familiar de nosso município e com isso traz também:

-Assessoria Dpvat
-Assistência Técnica aos Agricultores familiares
-Assessoria Jurídica com 3 Advogados para melhor atender a população

E na Área da saúde com o apoio de Elza Pedrosa a amiga do povo conseguimos convênios com:

- Dermatologista
- Ortopedista
- Otorrino
- Cardiologista
- Oftalmologista
- Neurologista
- Raios X, entre outros.

Agricultor Familiar. Venha se Associe e participe de todas essas vantagens.

Sintraf Sairé Rua Pedro José dos Santos Nº 1 CHAB, próximo ao antigo prédio da secretária de ação social.
José Chaves - divulgação
O presidente do PTB em Pernambuco, deputado José Chaves, marcou para esta sexta-feira, dia 12, o jantar de confraternização dos membros do partido.
O evento será realizado no Restaurante Adega, do Clube Português, no Recife, a partir das 19h, e terá a presença do senador Armando Monteiro, futuro ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.
Nas últimas eleições em Pernambuco, o PTB elegeu quatro deputados federais e seis estaduais. O deputado Sílvio Costa também é ligado ao senador, mas pertence ao PSC.
Roberto Freire - divulgação Fundação Roberto Freire

PSB e mais três partidos de oposição (Solidariedade, PPS e PV) anunciaram ontem (10) em Brasília a formação de um bloco parlamentar para atuação conjunta na Câmara Federal a partir de fevereiro do próximo ano.
O bloco, que terá 67 deputados, será oficializado na próxima terça-feira (13). Em número de parlamentares, perderá apenas para o PT (que terá 70) e para o PMDB (que terá 66).
Também o PT, na tentativa de se manter como a maior força política na Câmara, discute a formação de um bloco com o PCdoB, PROS e PDT, o que totalizaria 109 deputados.
Segundo o presidente nacional do PPS, deputado Roberto Freire (SP), um dos articuladores do bloco parlamentar, a reaproximação do seu partido com o PSB começou a ser discutida em 2013 com o então governador de Pernambuco, Eduardo Campos, morto em um acidente aéreo em agosto deste ano.
Mais tarde, as conversas incluíram o Partido Solidariedade e PV, partidos que apoiaram o senador Aécio Neves (PSDB-MG) no primeiro e no segundo turno das eleições, respectivamente.
De acordo com o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, seu partido resolveu adotar uma “posição de independência” em relação ao governo federal e necessariamente não votará do mesmo jeito do PPS, do PV e do Solidariedade.
Primeiro pronunciamento de Armando em Pernambuco como ministro. Foto: BlogImagem.

No primeiro pronunciamento público em Pernambuco como ministro indicado pela presidente Dilma Rousseff (PT), o senador Armando Monteiro Neto (PTB) fez um discurso firme.

Na fala,  mandou recado aos pessimistas e afirmou que o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) terá uma posição de ataque no contexto nacional e, segundo Armando, será “ponta de lança”.

Prestigiado pelos seus pares, o ministro discursou para uma plateia formada por empresários e políticos de Pernambuco, durante a confraternização da Federação das Indústrias de Pernambuco (Fiepe).

No café da manhã que tomou ontem com senadores e deputados do PT, Lula deu as diretrizes da reforma ministerial. As mudanças em curso, segundo ele acertadas com Dilma Rousseff, seguem três diretrizes.

1) Acomodar melhor os aliados. Lula repetiu o que Aloizio Mercadante já dissera: o PT vai perder espaço em benefício do PMDB e de outros partidos da base.

2) Levar para o governo atores sociais importantes, como, por exemplo, indicações das centrais sindicais ou de movimentos sociais que possam dar apoio ao governo em momentos críticos.

3) Melhorar o equilíbrio entre indicados do Senado e da Câmara. Ou seja: diminuir o peso do Senado e aumentar o da Câmara.(Lauro Jardim - Veja Online)
bisForam localizadas em Bezerros duas motocicletas roubadas.   A primeira no Sitio Serra Nova, em Serra Negra, uma moto SHINERAY, ano 2012, cor prata. A segunda foi localizada no Alto das Quixabas, zona urbana de Bezerros e trata-se de  uma moto HONDA BIZ, ano 2010, cor preta, placa KII 5761, que pertence ao popular Adriano Serafim da Silva. Como ambas estavam com restrições roubo foram levadas até a delegacia da cidade para as medidas cabíveis.
As informações são do Blitz nas Ruas
Prefeito Daniel Alves (Foto: Chã Grande News)
Prefeito Daniel Alves (Foto: Chã Grande News)
CHÃ GRANDE: Para quem pensa que o atraso de salários é algo que só apenas em Gravatá, engana-se. A cidade de Chã Grande, também no agreste pernambucano está passando pelas mesmas privações.
Uma fonte segura daquela cidade afirmou que os salários dos servidores estão sendo pagos em datas comprometedoras pelo atual gestor Daniel Alves: “Durante toda gestão do atual prefeito Daniel Alves de Lima, os salários vem sendo pagos de forma comprometedora, o órgão adia cada vez que o dia de receber vai se aproximando e este mês não foi diferente. Funcionários aposentados esperam a boa vontade do senhor prefeito para receber seus vencimentos correspondentes ao mês de novembro que dever ter sido pago no dia 30 de novembro e acaba atrasando toda folha salarial que até agora não tem data certa para sair o décimo. A situação está complicada e precisamos de um apoio para que decisões sejam tomadas“, diz o leitor cujo nome prefere que não seja revelado.


O senador registrou cinco ações que implementará com o objetivo de cumprir o que definiu como desafio central: a promoção da competitividade brasileira

Após ser anunciado novo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), Armando Monteiro Neto disse nesta segunda-feira (1º) que o que mais preocupa no saldo negativo da balança comercial é a queda nas exportações de manufaturados. Em discurso de diálogo com o setor produtivo e adiantando que indústria e competitividade terão papel central na agenda do ministério, ele agradeceu o reconhecimento dos correligionários do PTB.

“Não há como crescer mais sem que a indústria tenha dinamismo. Crescer pela indústria é sempre o melhor caminho”, avaliou. Ressaltou que o crescimento da produtividade é a garantia das conquistas sociais dos últimos anos, já que permitirá a “sustentabilidade do aumento dos salários” e fortalecimento da demanda doméstica.

Em entrevista no Palácio do Planalto, Armando Monteiro registrou cinco ações que implementará com o objetivo de cumprir o que definiu como desafio central: a promoção da competitividade brasileira.

A desburocratização e simplificação do ambiente tributário, implementação de uma política de comércio exterior mais ativa e renovação do parque fabril foram citadas pelo futuro ministro como parte de uma “agenda positiva de indução ao processo de desenvolvimento sustentável”.

O estímulo à inovação e o aperfeiçoamento do sistema de governança também foram lembrados por Armando Monteiro Neto. A necessidade da redução de custos sistêmicos foi repetida algumas vezes pelo senador pernambucano.

Defendendo aliança do governo com o setor produtivo, em benefício da promoção da competitividade, ele observou que, como as ações apresentadas estão voltadas para a chamada agenda microeconômica, o foco das políticas será aplicar medidas que não demandem esforço fiscal adicional.

“Temos de buscar um modelo de financiamento que possa, por exemplo, estimular esse movimento de horizontalização, ampliação da substituição de equipamentos em todo parque fabril do país”, explicou.

Sobre a política cambial, o novo ministro admitiu que a valorização do real na última década concorreu para perda de competitividade da indústria brasileira. Acrescentou que a situação será contornada. “Acredito firmemente na coordenação das políticas monetária e fiscal do próximo governo. Teremos realinhamento cambial, que se dará em condições naturais, sem nada que pareça movimento brusco ou que tenha caráter artificial”.

Armando Monteiro Neto informou que promoverá a transição de sua nova equipe no próprio prédio do Mdic, onde pretende conversar com Mauro Borges sobre programas do ministério.

São 12 milhões de pessoas que, juntas, em uma corrida à Presidência da República cada vez mais acirrada, podem decidir a eleição. Elas formam o bloco dos indecisos, segundo as pesquisas eleitorais mais recentes, lançadas antes da estreia dos programas dos candidatos em rádio e tevê. É gente que não quer anular ou votar em branco, mas que não se sente representada ainda por nenhum dos aspirantes ao Planalto. Um contingente de 9% de eleitores para quem os esforços de campanha estarão voltados até 5 de outubro, dia de ir às urnas.
A indecisão no pleito atual está no mesmo patamar que na eleição presidencial passada, em 2010, e maior que na disputa de 2006, quando havia 7% de indecisos na primeira quinzena de agosto. Desencanto com a política, discursos muito semelhantes por parte dos candidatos e palanques locais que serviam de orientação para o voto de presidente hoje rachados são alguns dos fatores que explicam o nível de indecisos beirando os 10%.
(Do Correio Braziliense)


O município de Carpina, na Zona da Mata Norte, foi palco de uma noite histórica neste sábado (23). Mais de 5 mil pessoas participaram, em clima festivo, do maior ato de rua da campanha de Armando Monteiro (PTB) e João Paulo (PT). Os candidatos a governador e ao Senado foram ovacionados pela população carpinense, em evento que marcou o lançamento da candidatura a deputado estadual do ex-prefeito Manoel Botafogo (PDT) e o estabelecimento de sua dobradinha com a vereadora do Recife Isabella de Roldão (PDT), que tenta uma vaga na Câmara Federal.

Armando, João Paulo e o candidato a vice, Paulo Rubem (PDT), chegaram a Carpina vindos de Vitória de Santo Antão, onde haviam realizado carreata e comício. Milhares de pessoas já os esperavam na PE-90, formando um verdadeira onda azul que, ao percorrer o município, contagiou a população. Dois quilômetros e meio mais tarde, a praça da Avenida Dr. José Otávio, no centro de Carpina, ficou lotada para ouvir os discursos.

Em cima do palco, dezenas de lideranças políticas da região se fizeram presentes, numa demonstração de apoio ao ex-prefeito de Carpina e Lagoa do Carro. Tanto João Paulo quanto Armando reconheceram que o evento era o maior ato de rua da campanha de ambos até o momento.

“Obrigado, Carpina! Obrigado, Botafogo! Este é, sem sombra de dúvida, o maior ato da nossa campanha, o grande evento da Mata Norte”, disse Armando, frente à multidão. “Estamos agradecidos e sabemos da importância de Carpina para a região e para Pernambuco. Investindo em educação, saúde e segurança, vamos levar Pernambuco mais longe”, destacou Armando. “Foi a maior mobilização de rua das nossas candidaturas. Podemos dizer com toda a certeza de que Botafogo será um soldado de Armando na Assembleia Legislativa”, salientou o candidato ao Senado.

Após a morte do ex-governador Eduardo Campos, começam as migrações para o palanque adversário



No primeiro final de semana de campanha eleitoral após a morte do ex-governador Eduardo Campos, surgem algumas modificações no cenário das duas principais candidaturas ao governo estadual. Durante agendas no Agreste do Estado, o candidato Armando Monteiro Neto (PTB) conseguiu atrair o apoio de lideranças que até então davam sustentação à base de apoio do PSB, que tem como candidato o ex-secretrário Paulo Câmara.

O ex-prefeito de Vitória de Santo Antão José Aglaíson (PSB), que tinha uma relação histórica com os ex-governadores Eduardo Campos e Miguel Arraes, foi uma das lideranças que declararam apoio ao senador Armando Monteiro. O filho do socialista, o deputado estadual Aglaíson Junior, também é do PSB e é candidato à reeleição pela Frente Popular de Pernambuco.

Além do arraesista, Armando contabilizou apoio de prefeitos, vereadores e lideranças de Jucati, Lagoa do Ouro, Calçado e Correntes. Também filiado ao PSB, o prefeito de Lagoa do Ouro, Marquidoves Vieira, decidiu migrar para o grupo político capitaneado pelo PTB. Além de Vieira, o grupo de oito vereadores que está na base política do prefeito acompanhou a decisão.

Faltando pouco mais de 40 dias para a eleição, o PTB espera ampliar a base que apoia a candidatura de Armando Monteiro Neto. As mudanças ocorrem justamente depois da morte do principal líder político de Pernambuco, o ex-governador Eduardo Campos, que dava todo suporte à candidatura da legenda socialista.

Após a morte de Eduardo, o comando da campanha informa ter recebido ligações de algumas lideranças mostrando interesse em apoiar o candidato do PTB. Antes de anunciar as adesões, Armando tem conversado com os grupos políticos que já declararam apoio, segundo ele para não gerar conflitos entre lideranças que são adversárias em nível municipal.


Ontem, o senador ainda anunciou aliança com o prefeito de Calçado, Zé Elias (PP), que é da base da Frente Popular. O ex-prefeito Nivaldo Júnior (PR), de Correntes, foi outro que deixou a base para se engajar na campanha do petebista. Em Jucati, o PTB conseguiu a adesão do presidente municipal do PSB, Moisés Cordeiro, dos vereadores Pedro Vilela (PSB), Ernan do Leite (PSB) e Branco (PT, mas até então na Frente Popular), além do ex-vice-prefeito, Eliazar Cordeiro, que deixou o PSB e filiou-se ao PTB.


Regime concede a condenado direito de deixar prisão para trabalhar durante o dia; MP deve recorrer da decisão

Condenada por planejar em 2002 o assassinato dos pais, Manfred e Marísia Richthofen, Suzane Von Richtofen, 30 anos, ganhou o direito de cumprir sua pena em regime semiaberto, em decisão da Vara de Execuções Criminais de Taubaté, interior paulista, anunciada na segunda-feira (11). A informação foi confirmada pelo Ministério Público de São Paulo, nesta quarta (11).

A presidente Dilma Rousseff cancelou todos os compromissos desta quarta-feira (13), depois de ficar sabendo do acidente aéreo que matou o candidato à Presidência da República pelo PSB, Eduardo Campos.
Dilma está no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência, reunida com assessores. Ela vai se pronunciar ainda nesta quarta, sobre a morte do adversário.
Candidato à Presidência pelo PSB, Campos ia de avião do Rio de Janeiro para o Guarujá, em São Paulo, onde teria agenda pública de campanha. O jato Cessna 560XL, prefixo PR-AFA, em que ele viajava, caiu na cidade de Santos por volta das 10h desta quarta-feira. 
O avião que caiu decolou do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, com destino à Base Aérea de Santos. Quando se preparava para pouso, o avião arremeteu devido ao mau tempo, segundo a FAB (Força Aérea Brasileira). Em seguida, o controle de tráfego aéreo perdeu contato com a aeronave.
Campos foi governador de Pernambuco por dois mandatos consecutivos, de 2007 a 2014, e se licenciou do cargo neste ano para concorrer à Presidência da República. Antes de se eleger governador, Campos foi deputado por três mandatos consecutivos. Em 2005, o político pernambucano se tornou ministro da Ciência e Tecnologia do governo do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva.



Candidato à presidência da república pelo PSB, o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos morreu na manhã de hoje em um acidente de avião em Santos (SP). O assunto é um dos mais comentados do momento nas redes sociais.

Uma iniciativa da Prefeitura através da secretaria de Ação Social / Coordenadoria da Mulher, está levando até as crianças das escolas da rede municipal, a prevenção da violência contra a mulher através da Lei Maria da Penha. O objetivo é garantir a prevenção necessária para efetivação das políticas públicas e a diminuição do índice de violência do gênero.

Ao todo serão 10 escolas que receberão projeto, com o apoio da secretaria de Educação. “Nós conversamos com os diretores, professores, enviamos o projeto e eles identificaram as turmas que possam ter casos na família, ou que até mesmo já tiveram. Daí a ação ocorre diretamente com eles”, disse Michele Silvestre, Coordenadora da Mulher em Bezerros.


A metodologia vai desde a apresentação do trabalho da secretaria de Ação Social, até a explicação do que é e como funciona a Lei Maria da Penha. As crianças assistem vídeos e colocam em forma de desenhos o que absorveram durante o momento. “Desde pequenininhos eles tem que entender que não pode bater na coleguinha de sala, na irmã ou mãe, como muitas vezes ocorre”, explica Michele.

A primeira escola a receber o projeto foi o Clube de Assistência Social Nossa Senhora das Dores. Até novembro outras nove instituições estarão na pauta da secretaria. São elas: Colégio Municipal Desembargador Felismino Guedes, CEMAIC, Escola Monsenhor Florentino, Escola José de Góes, Escola Zuzinha Guilherme, Escola Vicente Ferreira, Escola Joaquim Claudino, Escola Intermediária e Escola Nelson Castanha.
presidente

O legado político deixado pelo ex-presidente Lula (PT) ainda exerce forte influência sobre os eleitores de Pernambuco. Ao menos esse é o reflexo dos números da pesquisa do Instituto Maurício de Nassau (IPMN), encomendada pelo Portal Leia Já, e publicada em parceria com o Jornal do Commercio, que mostra como seriam os votos dos candidatos à Presidência da República em Pernambuco se as eleições fossem hoje.
No levantamento, divulgado nesta segunda-feira (4), a presidente Dilma Rousseff (PT), candidata apoiada por Lula, desponta com 40% das intenções de voto para presidente  no Estado enquanto o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) está com 30%. O tucano Aécio Neves segue distante na disputa por voto no Estado e aparece com apenas 4%.
Os dados fazem parte da pesquisa estimulada, quando aparecem listados os nomes dos postulantes.